Leitura no Ponto deve ser expandido em 2015

No primeiro ano do projeto, mais de 5.600 livros foram disponibilizados gratuitamente em estações de ônibus

Janeiro é um momento propício para começar novas atividades. Há pessoas que iniciam dietas, intensificam uma ativide física ou se matriculam em cursos. O mês também é ideal para começar novas leituras, principalmente quando o livro fica à disposição gratuitamente em locais de fácil acesso, como estações de ônibus.auber4Em Uberlândia, o projeto Leitura no Ponto, da Prefeitura Municipal contribui com esta realidade estimulando a educação, a informação e a busca pelo conhecimento. Em estantes montadas nas estações 1, 3, 5 e 11, do corredor de ônibus da Avenida João Naves de Ávila, os usuários do transporte coletivo podem conhecer as obras e ainda levá-las para ler em casa. Em 2015, a previsão é que o projeto seja oferecido em mais duas estações.
Os livros podem ser retirados de graça e sem necessidade de ficha. Desta forma, romances, aventuras e ficções podem ser desfrutados nas estações enquanto os passageiros aguardam seus ônibus e ainda levar para casa e concluir a leitura. Depois de lida, a obra deve ser devolvida em qualquer estante do projeto para que mais pessoas possam ter acesso ao benefício. Quem quiser, pode ainda fazer doações e, assim, contribuir para aumentar o acervo do Leitura no Ponto.
Pela sexta vez, o aposentado Siderlei Ernane Mendes, de 71 anos, pegou um livro na estante da estação 5. Consciente da importância do projeto, ele sempre devolve a obra após a leitura, mesmo que em outra estação. “Eu pego o que quero e me agrada sem gastar dinheiro. Em toda minha vida gostei muito de ler e com o Leitura no Ponto tenho mais facilidade para usufruir deste prazer”, disse.zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz34A professora Dalva Isabel Dias, de 62 anos, aprovou o projeto. “Muitas pessoas que antes não tinham oportunidades de ler agora têm”, disse. Ela destacou ainda que o Leitura no Ponto ajuda quem tem pouco tempo, pois vê as estantes, recolhem um livro e podem seguir lendo a obra.
No lançamento do projeto, em setembro de 2014, cerca de 1.500 exemplares entre romances, contos, poemas, biografias, crônicas e gibis foram doados e absorvidos pelos leitores. Até o dia 19 de dezembro foram distribuidos mais de 5.600 livros nas estantes.
Segundo Flávia Fonseca de Campos, coordenadora do Núcleo das Linguagens, do Centro de Estudos e Projetos Educacionais Julieta Diniz (Cemepe), que é responsável pelo projeto, as doações são frequentes. “Achávamos que somente a longo prazo as pessoas começariam a doar, mas nos surpreendemos. Em dezembro, foram doados cerca 140 livros por semana. As pessoas adotaram a ideia”, disse.
As estantes são organizadas e os livros recolhidos ou colocados à disposição ao menos três vezes por semana. Para este início de ano, cerca de 1.200 livros já estão à disposição para serem disponibilizados nas estações. Flávia Fonseca destaca a necessidade das pessoas devolverem a obra. Para isso ocorrer com mais facilidade, todos os livros são identificados com a marca do Leitura no Ponto, assim o usuário não se esquece de devolver.auber2

Doações para o Leitura no Ponto

As doações podem ser feitas por qualquer pessoa em uma das urnas existentes na parte inferior das estantes nas estações. Além disso, caixas de madeira adesivadas e identificadas com a marca do projeto foram colocadas estrategicamente em espaços e órgãos públicos da cidade com o intuito de arrecadar novos livros. Posteriormente os livros são identificados e expostos nas estações.

Publicidade

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.