Água no Triângulo Mineiro

” A massa de ar quente seco que esteve sobre a região Sudeste do país durante ao menos 15 dias deste mês fez com que os níveis de quatro dos cinco reservatórios de usinas hidrelétricas do Triângulo Mineiro voltassem a cair. Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) do início desta semana revelaram que as reservações das unidades de Marimbondo, Água Vermelha, Emborcação e Nova Ponte desceram entre um e seis pontos percentuais em relação ao verificado no fim de dezembro. Naquela ocasião, houve uma chuva sobre a região. Na contramão dos demais, o reservatório da usina São Simão se manteve estável entre o último mês do ano passado e janeiro. Nessa situação, os reservatórios que já apresentavam níveis abaixo dos 33% registrados, período em que houve uma série de apagões no país (entre 2000 e 2001), voltam a entrar em situação de risco com possibilidade de atingir o volume morto. Isso porque, embora a bolha de calor já tenha sido rompida por massas de ar frio e chuvas recentes, não haverá precipitações suficientes para recuperar os níveis em curto prazo, segundo medição do Laboratório de Climatologia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). “Para janeiro, a expectativa de chuva, por exemplo, era de 300 mm, porém, choveu somente cerca de 70 mm até o momento devido ao veranico prolongado”, disse o professor e climatologista da UFU Luiz Antônio de Oliveira. Oliveira lembra que essa massa de ar quente também foi presenciada no último janeiro, o que prejudicou a capacidade hídrica do país no ano passado. Assim, ele acredita que este ano pode ser semelhante a 2014, com poucas chuvas, situação hidrológica ruim e, consequentemente, problemas na captação de água e de geração de energia “ (Correio)agua1

Publicidade

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.