Uberlândia sediará seminários internacionais sobre educação e combate a fome

Desde o ano passado, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) vem estreitando os laços com a cidade de Uberlândia com o intuito de promover ações e troca de experiências que contribuam no combate a fome.aprefo2

Dando continuidade a visita que aconteceu em agosto 2014, pelo secretário-executivo da CPLP, Murade Isaac Murargy, representantes da Superintendência da Igualdade Racial (Supir), ligada à Secretaria Municipal de Governo, da CPLP, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Moçambique (CCIBM) e da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), se reuniram na manhã desta terça-feira (03) para traçar as propostas para dois eventos que acontecerão ainda em 2015.
Segundo o superintendente da Supir, Ramon Rodrigues, um dos seminários propostos acontecerá em maio, em Uberlândia, e vai abordar sobre educação superior no Brasil e Moçambique. “Tivemos nossas raízes no continente africano, acredito que temos muito a oferecer e eles possuem muito que nos ensinar”, disse.aprefo2
O outro seminário acontecerá no mês de setembro envolvendo todos os países da CPLP. Dentro do planejamento, o evento acontecerá em quatro dias, sendo dois na cidade de Uberaba e dois em Uberlândia. O foco principal do evento será a erradicação da fome nos países de língua portuguesa.
Segundo o diretor de cooperação da CPLP, Manoel Lapão, os encontros serão oportunidades para se perceber como foi a metodologia aplicada pelo Brasil para o desenvolvimento dos programas sociais e econômicos. “São experiências de sucesso, em um contexto de alguma dificuldade, mas que deram certo”, disse. Ainda segundo Lapão, o Brasil possui uma grande capacidade de mobilizar vontades internacionais referentes a essa pauta.
Para o representante da FAO junto à CPLP, Helder Muteia, o Brasil possui importância estratégica, pois tem alcançado grandes resultados graças às políticas públicas. Muteia citou avanços a partir de programas como o “Fome Zero” e do incentivo não só ao agronegócio, mas também à agricultura e ao combate à pobreza. “Este cardápio de soluções é extremamente importante para aplicarmos em outros contextos, quer seja na África, na Ásia ou nos países da CPLP onde a língua é um facilitador”, disse.
A UFU será parceira nos eventos e apresentará as experiências bem sucedidas por seus pesquisadores e alunos. Segundo o vice-reitor da Universidade, Eduardo Nunes Guimarães, a instituição já possui esse intercâmbio com os alunos de países que falam o português e esta será mais uma oportunidade para troca de experiências.aprefo2

Presença na Femec

Em reunião com o prefeito Gilmar Machado na tarde desta terça-feira (3), no Centro Administrativo Municipal, os representantes da CPLP e da FAO confirmaram a presença de quatro países africanos na Feira do Agronegócio do Estado de Minas Gerais (Femec). O evento, que acontece entre os dias 24 e 27 de março, no Camaru contará com a participação de autoridades de Moçambique, Angola, Guiné Bissau e Guiné Equatorial.
A ideia é partilhar com esses países, que também são membros da CPLP junto com o Brasil, o conhecimento e a tecnologia voltados ao atendimento da mecanização agrícola. Segundo Manoel Lapão, diretor de cooperação da CPLP, a comunidade dos países de língua portuguesa foi criada com base na solidariedade e essa relação que vem se consolidando em 2015 mostra que a teoria está se transformando em prática. “É necessário ver como as boas experiências podem ser aplicadas entre os países. Cooperação é isso”, observou.aprefo2

Publicidade

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.