Feira Regional de Economia Popular Solidária do Triângulo no HBLOG

Uberlândia receberá, no sábado (30) e domingo (1º de maio), das 9h às 21h, a Feira Regional de Economia Popular Solidária do Triângulo, com 30 expositores apresentando seus trabalhos produzidos por formas alternativas aos atuais meios de produção do mercado. Serão expostas, para a venda, peças de artesanatos, acessórios, trabalhos de reciclagem, ervas medicinais, sabonetes, além de produtos alimentícios a base de cultivo orgânico. São esperadas na praça Tubal Vilela, no Centro, mil pessoas visitando a exposição, que também terá apresentações culturais, como dança e capoeira. (fonte Correio)
O evento é organizado por incentivo do Governo de Minas Gerais, com a organização do Fórum Regional de Economia Popular Solidária (Freps) no Triângulo Mineiro, além do Centro de Incubação de Empreendimentos Populares Solidários (Cieps). Na visão de Adriane Maria da Silva, coordenadora do Freps, a feira é um momento especial tanto para o produtor, que tem a oportunidade de divulgar seu trabalho, quanto para o consumidor, que possui a possibilidade de aumentar sua bagagem cultural ao descobrir como cada mercadora foi concebida.
“Em um comércio tradicional, o público não tem como saber os caminhos que aquele produto percorreu para ser produzido. A feira resgata essa valorização do produto, como ele foi plantado e cultivado”, afirmou. acore

Cacique Kaun Poti Guarani vai expor, na feira, receitas terapêuticas dos povos indígenas (Foto: Cleiton Borges)

Ainda de acordo com Adriane Silva, a atuação desses comerciantes no mercado é um grande desafio diário. “A gente precisa primeiro conquistar a confiança da sociedade, que precisa reconhecer a qualidade do produto que é vendido. É um resgate da valorização de um produto de qualidade diferenciada, com preço justo”, disse.
Uma das coordenadoras do Cieps, Cristiane Betanho, define economia solidária como uma forma de relação comercial na qual o empreendedor, ao mesmo tempo, produz e vende seu trabalho. “É uma organização da economia em que se humaniza o processo de venda. Todos os integrantes são donos e trabalhadores de seus negócios”, afirmou.
Para produtora, eventos são essenciais
A produtora rural Catarina Henrique de Moura afirmou que exposições como a Feira Regional de Economia Popular Solidária do Triângulo, que acontecerá no sábado (30) e domingo (1º de maio) em Uberlândia, são de vital importância para a sobrevivência de seu negócio, que inclui produtos como alface, mostarda, caqui, couve, urucum, açafrão, jurubeba e mandioca. Os produtos, cultivados por ela e o marido, são semanalmente vendidos em uma feira semelhante que acontece na Universidade Federal de Uberlândia (UFU) nas manhãs de sábado.
Para a produtora, a sociedade tem adquirido uma consciência sobre a importância de uma alimentação pautada por produtos naturais. “Faço tudo com adubo animal e vegetação. Tenho clientes já fidelizados que só compram os meus produtos por saber disso. A saúde melhora, até a unha e o cabelo ficam mais saudáveis quando não comemos química”, afirmou.
Exposição terá ervas medicinais indígenas
A cultivadora de ervas medicinais Cacique Kaun Poti Guarani vai expor, na feira, diversas receitas terapêuticas dos povos indígenas, passadas de pais para filhos há, pelo menos, 500 anos. Segundo a expositora, entre os produtos vendidos, estão plantas para combater diabetes, indisposição, enxaqueca, sinusite, alergias respiratórias e problemas sanguíneos.
“São tradições de família que aprendi desde os cinco anos de idade. Tenho certeza que são mais benéficos do que qualquer medicamento de farmácia, que sempre têm efeitos colaterais”, afirmou.zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz32

Publicidade

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.